sábado, 6 de setembro de 2014

CEIA DO SENHOR – UM POR TODOS – TODOS POR UM



I Co 11.23-32
São dois os textos que usamos para falar da ceia do Senhor, este que lemos e outro que está nos evangelhos. Já ensinamos muito sobre a ceia do Senhor, no entanto quero falar nesta noite sobre o significado espiritual de participarmos dela...
A ministra de adoração Ana Paula Valadão, em 1999, compôs uma linda canção onde ela cita o texto do profeta Jeremias, que diz: "Quero trazer à memória aquilo que me dá esperança".
A Ceia do Senhor é uma cerimônia que tem exatamente esse objetivo: trazer à lembrança o importante acontecimento do sacrifício de Jesus. O próprio Senhor estabeleceu esta cerimônia para ser assim, porque lemos em Lucas 22.19 Jesus dizendo: "Façam isto em memória de mim".
Já falamos que é um memorial. Assim como Jesus não estava dando pedaços de seu corpo para os discípulos comerem e nem seu sangue para que bebessem, assim também não acontece hoje, ou seja, o pão não se transforma literalmente no corpo e nem o vinho no sangue de Jesus.
Mas o grande significado da ceia está em que, assim como Jesus fez os discípulos participantes de seu corpo, assim Ele o faz conosco nos dias de hoje.
Quando participamos da ceia cumprimos o que Jesus disse: “este é o novo pacto (ou aliança) em meu sangue”. Passamos com isto a ter parte no corpo, que é a Igreja do Senhor.
Mas antes de passar a lhes detalhar sobre isto quero lhes explanar um aspecto que a muitos deixa curioso.
O que significa: qualquer que comer do pão, ou beber do cálice do Senhor indignamente, será culpado do corpo e do sangue do Senhor?
Muitos irmãos acham simplesmente que esta expressão acima refere-se a ter pecado e então não poder mais participar da ceia. Se alguém está na prática constante do pecado realmente não deve participar da ceia do Senhor, porque a Bíblia diz que “Aquele que é nascido de Deus não peca habitualmente; porque a semente de Deus permanece nele, e não pode continuar no pecado, porque é nascido de Deus.”
Mas não é isto que a Palavra de Deus quer nos dizer sobre participar da ceia. Ela não fala só de pecado. E para compreender isto precisamos recorrer a esta Palavra.
O Corpo de Jesus foi partido para levar consigo os pecados e enfermidades de todos os crentes. Seu sangue foi derramado “para que todo aquele que nEle crer não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo:3.16).
A pergunta é: alguém se considera digno de participar da ceia do Senhor? Talvez alguém diga: “Ah! Não me lembro de ter pecado nenhuma vez hoje. Acho que consegui me segurar, então posso participar da ceia”.
Não podemos nos considerar dignos.
Se alguém se considera, está pecando por isso. Paulo mesmo disse quando escreveu a Timóteo: “Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais sou eu o principal” (I Tm 1:15).
Então o que é ser indigno? Irmãos, nossa fé no Cordeiro de Deus é que nos faz salvos. É ela que nos torna dignos de participar. Se você não tem fé para crer que Jesus o ressuscitou dentre os mortos, então não participe.
A Bíblia diz que “sem fé é impossível agradar a Deus; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam”. E por esta causa há muitos doentes e muitos que dormem...
Então, participar indignamente é fazer isto sem fé, sem nascer de novo e também sem discernir o corpo do Senhor “Porque quem come e bebe, come e bebe para sua própria condenação, se não discernir o corpo do Senhor” (v. 29). 
A ceia também é conhecida por alguns como o momento da comunhão. A palavra comunhão significa “ter em comum”. Ter em comum o quê? O corpo de Cristo.
O apóstolo Paulo escreve em I Co 12.12 algo muito interessante: “Porque, assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros do corpo, embora muitos, formam um só corpo, assim também é Cristo.
Não consigo compreender como algum crentes conseguem guardar mágoa de seus irmãos, se fazemos parte de um só corpo... Aí alguns dizem a expressão: eu perdôo, mas vai ficar no meu livro negro.
Diz a pessoa ao seu lado: Só existe um corpo na Igreja, um só Cabeça.. só existe um Pai Celestial, um só batismo espiritual, uma só fé...
Reino dividido não prospera...
Quero encerrar a mensagem de hoje sobre a ceia de uma maneira diferente da que conhecemos habitualmente. Em I João 4:7-8 diz: “Amados, vamos amar uns aos outros, pois o amor vem de Deus. Quem não ama, não conhece a Deus, pois Deus é amor”.
Em I Coríntios 13 diz: “Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o címbalo que retine.” O que isso quer dizer? Não adianta falar bonito, saber de muita coisa, se o amor de Cristo não estiver em seu coração... 
O texto de I Corintios 13 continua: “E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.” Quer dizer, não adianta ter poder, ser inteligente e poderoso, se o amor de Deus não estiver no coração... 
E ainda que distribuísse todos os meus bens para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.”  
Não adianta dar esmolas, ou fazer caridade, como se isto pudesse compensar a falta de Cristo no coração, porque as obras devem ser resultado da fé que você tem em Cristo e não o contrário... 
O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não se vangloria, não se ensoberbece, não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal; não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.” 
Olhe para o seu lado...Tem alguém aí que você não consegue nem sequer olhar nos olhos dele ou dela direito?
Olhe para trás...Tem alguém aí que você não consegue nem sequer olhar nos olhos dele ou dela direito?
Olhe para frente...Tem alguém aí que você não consegue nem sequer olhar nos olhos dele ou dela direito?
Faça isto. Examine o seu coração nessa hora... Você consegue olhar para todos os lados, bem nos olhos de teu irmão, da tua irmã? Consegue dizer a todos que os ama de verdade?
Consegue dizer que sente suas dores também? Que ao menos um pouco você se preocupa com ele, com ela? Que você, em hipótese alguma é melhor que ele ou ela? Que nós todos somos como se fôssemos um? Você consegue meu irmão, consegue minha irmã?
Quando nós conseguirmos fazer isto, então seremos aquilo que Jesus espera que sejamos... Não pelos nossos próprios esforços, mas por fé.
O que é por fé? É não olharmos pra nós mesmos, pra nossas capacidades, pra nossa força, pros nossos achismos... Ter fé é como dar um passo no escuro, mas sabendo que a frente está o chão firme, a mão do Senhor pra nos amparar...

Um comentário:

António Jesus Batalha disse...

Ao visitar alguns blogs me deparei com o seu, e quero dar-lhe os parabéns por partilhar o seu saber, gostei por isso deixo aqui um convite:
Ficaria radiante se visita-se o meu blog, e leia alguma coisa, meu blog é um blog cristão que fala de diversos assuntos.
É o Peregrino E Servo.
Desejo muita paz e saúde.
http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

LinkWithin

"Poderá gostar de:" Related Posts with Thumbnails