terça-feira, 7 de janeiro de 2014


LANCE SEU PÃO SOBRE AS ÁGUAS
            Ecl 11.1-6
O mundo diz: “quem não arrisca não petisca”. No mundo, o arriscar é uma forma insegura de ter alguma coisa. Você não tem certeza que poderá conquistar, no entanto, você tentará. Pelo menos temos uma virtude nisso, a passividade é colocada de lado.
Em nossa vida cristã temos algo parecido com isso. Nunca podemos esquecer que o mundo é uma falsificação das coisas de Deus. Parece com a verdade, porém, está longe da verdade. É o que chamamos de sofismas. No mundo você arrisca e pode ter vitória ou um grande prejuízo. No Senhor, a palavra que usamos não é “arriscar”, mas “se dispor”.
Por quê? Porque nunca é um risco confiar no Senhor. No Senhor, a vitória é certa. Então, o ditado certo é “quem não se dispõe, não conquista”. Você tem se disposto a conquistar sua herança no Senhor?
O que te impede de dispor?
O diabo vai se empenhar para que não conquistemos a nossa herança no Senhor. Normalmente quais são estas armas? O que nos faz parar em nossa vida cristã? São tantas as coisas que temos dificuldades em relacionar todas.
Pelo menos algumas nós temos certeza que são poderosas armas usadas por ele: decepções, rejeições, falta de perdão, análise natural da situação, avaliação errada de si mesmo, falta de apoio, medo de errar e assim por diante. São experiências frustrantes que nos param no meio do caminho de nossas futuras conquistas.
Qual é o objetivo dessas armas malignas? Parar você. Imobiliza-lo. Fazer você se tornar um ser à beira do caminho. Tirando você do caminho, ele terá oportunidade de acabar com sua vida.
Devemos nos dispor a que? Aqui existe outro problema. No mundo se arisca em qualquer coisa. Mas no Senhor em que devemos nos dispor? Em qualquer direção? Em qualquer coisa? Não. Somente naquilo em que há lastro na palavra de Deus.
O que é lastro? É a palavra proferida por Deus em relação a você. A bíblia diz em Jeremias 1:12 que o Espírito do Senhor vela para que Sua palavra seja cumprida. Se há uma palavra do Senhor em certa direção, então se disponha naquela direção sem qualquer sentimento de insegurança de sua parte. Se não há, então aguarde que primeiro a palavra seja proferida.
Você pode falar: “pastor, parece tão improvável que aquela palavra do Senhor
se cumprirá a meu respeito”. Pois eu te digo, há uma palavra do Senhor? Então, avance com segurança nessa direção. Creia, você nunca será deixado na mão pelo Senhor. Aceite o desafio.
Em Eclesiastes 11:1 o Senhor diz: “lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás”. Há algo mais improvável do que isso? Você já jogou algum pedaço de pão sobre a água? O que aconteceu? Normalmente ele se derrete todo. Como então depois de muitos dias nós ainda podemos achá-lo?
Nós podemos achá-lo, somente porque foi o Senhor quem disse. Se o Senhor disser que uma mula vai falar, você pode crer porque isso vai acontecer. Se Ele falar que o sol ou a terra vai girar ao contrário, você pode crer porque isso vai acontecer. Se Ele falar que um mar inteiro vai abrir só para que você possa passar, você pode crer porque isso vai acontecer.
Como isso acontece? Vamos meditar nesse versículo de Eclesiastes.
Lança o teu pão - O pão fala daquilo que nos alimenta. Nossos princípios, nossos sentimentos, nossos desejos, nossos pensamentos, nossa consciência, nossos prazeres (casamentos, filhos, trabalho, empresas, casas de paz, etc), nossas convicções pessoais e assim por diante.
Só lançará o pão aquele que concluir que seu pão já não é muito bom. Que ele está duro e embolorado. Que não é mais possível alimentar-se dele. Enquanto você achar que é possível comê-lo, com certeza você não lançará. Essa convicção é necessária. Saia do âmbito natural e confie em Seu Pai espiritual. Lance sobre Ele tudo aquilo que você usa para se alimentar e espere por Ele. Abra mão de seu alimento natural.
Sobre as águas - A palavra não manda jogar seu pão sobre pessoas, sobre coisas ou sobre instituições. Elas nada podem fazer. Manda lançar sobre as águas. As águas apontam para a Palavra de Deus. O seu alimento deverá antes de ser ingerido passar pelo crivo das águas da Palavra de Deus.
A Palavra de Deus é o seu vigilante sanitário sobre o que você deve se alimentar. Suas esperanças não devem ser sobre suas convicções pessoais, mas sim estribadas nas promessas de Deus para você.
Depois de muitos dias - É um processo. Poderá ser hoje o retorno como poderá ser daqui a algum tempo. A única certeza é que acontecerá. Mais cedo ou mais tarde é fato que se fará.
O acharás – Primeiro: Isso aponta para uma atitude ativa de procurar e não uma atitude passiva de esperar. Há algo que precisa ser feito por você antes de encontrar seu pão novamente. Quantos se convertem e nunca lêem a bíblia para saber qual caminho deve andar? Ele pensa “isso é função do líder”. Errado. Isso é sua função.
É necessário essa pró-atividade na busca do pão para poder acha-lo. Ele não virá ao seu encontro. Você irá encontra-lo, enquanto o busca. Essa é a promessa. Depois que você coloca diante do Senhor o seu alimento, você deve ir atrás de tudo quanto diz respeito a ele.
A bíblia diz sobre esse assunto? Então busque saber o que ela diz. Existe alguém que já fez o mesmo? Então, quero ouvi-lo para saber suas experiências e assim por diante. Um tempo de solicitude diante do Senhor deverá fazer parte dessa busca. Todos os dias você deve ter um tempo com Deus para saber o que Ele pensa sobre aquilo. Você precisa de tempo junto com o Senhor para aprender com Ele sobre o que colocou em Sua presença.
Segundo – Como ele encontrará o pão novamente? Da mesma forma que ele o jogou? Não. Agora o pão estará completamente encharcado com água, ou seja, com a Palavra de Deus. Você abre mão de seu alimento natural, o lança na presença de Deus e o Senhor o mudará completamente.
O Senhor entranhará em seu pão os princípios Dele. Você deve estar preparado para essa mudança. Nunca mais será o mesmo pão. Agora ele estará diferente. Se você procurar o mesmo pão, nunca o acharás. O padrão é outro. Deus não quer mudar sua vida, Ele quer mata-la e dar outra a você. Deus não vai fazer um remendo no seu alimento, Ele irá dar outro alimento. Você está preparado para isso?
Para que isso aconteça tem que ter fé no Senhor.
É necessário confiar que Ele cuida de você melhor do que você mesmo. É necessário confiar que Deus nunca falhará. Que a palavra Dele é a única coisa que subsiste independente de qualquer coisa. Afinal, você vai lançar sobre ele o que você tem. Não devemos ser como Tomé que esperou ver para crer. Jo 20:24-25,27-29. O Senhor nos desafia a crer para ver.
Às vezes você pode pensar que seu pão é muito duro ou muito difícil para ser cheio das águas da palavra de Deus e dessa forma ser restaurado. Isso é uma mentira do diabo. Não há nada demasiadamente difícil que Deus não possa fazer. Gn18:14.
Há muita Palavra de Deus te esperando
Nos tempos de Elias (I Reis 17:8-16) houve uma fome grande sobre a terra. Elias foi enviado a uma mulher viúva em Sarepta. Chegando lá ele a encontrou à porta da cidade. Pediu-lhe que fosse buscar um copo d’água para ele, quando ela saía para fazer isso, ele lhe falouainda: “traga também um bolo para mim.”
Ela respondeu que não tinha comida e com a única que existia, ela faria um bolo para ela e o filho e depois esperaria a morte. Nesse momento Elias trouxe uma palavra para aquela mulher: “faça o que você tem para mim em primeiro lugar e depois faça para você e seu filho e te digo que não acabará nem a farinha e nem o azeite de sua casa até que acabe a fome na terra”.
Que palavra estranha. Primeiro use o que você tem em meu benefício e depois você terá fartura. Completamente diferente da normalidade que diz: primeiro você faz o milagre e depois eu compartilharei com você o que você me der. No entanto, aquela mulher foi e fez o que Elias mandou ela fazer. E nunca faltou mais comida naquela casa.
Você está com dificuldades? Talvez não seja a mesma da mulher. Talvez sejam outros tipos de dificuldades. O que você vai fazer? Aquela mulher iria fazer o natural, ou seja, tem só um pouco de farinha e azeite, então o certo é fazer um pedaço de bolo, comer e esperar a morte. Não é isso o que a maioria faria?
Mas eis que entrou a Palavra de Deus para ela. Ela optou em cumprir a palavra mesmo que lhe fosse estranha.
Quantos são convertidos e tem um casamento completamente fora do padrão de Deus. Deixe-me falar o que é um casamento fora do padrão de Deus. É um casamento onde falta alegria, falta prazer, falta companheirismo, falta confiança, falta transparência e coisas do gênero. Será que tem um casamento que tem tudo isso? Tem. Eu tenho isso com minha esposa. Foi sempre assim? Não. Um dia nós lançamos nosso pão sobre as águas da Palavra de Deus e saímos a procurá-lo novamente e o encontramos completamente mudado, encharcado pela Palavra.
Há uma promessa de Deus para todos os casados.
Promessa de paz, harmonia e alegria. É uma palavra estranha num contexto como o que vivemos em nossa sociedade? Pode ser, mas é verdadeira. No meio de tanta fome aquela viúva de Sarepta tinha fartura em casa. No meio de tantos fracassos de casamentos, o seu, pode ser um êxito completo.
Lance o seu pão sobre as águas.
Muito estão empenhados em construir um futuro. Outros estão emprenhados em construir uma “falta de futuro”. Parece estranho, mas deixe-me explicar. Quantos tem opção de estudarem e não o fazem? Quantos não tem alvos? Quantos não trabalham por que não querem? Quantos não se qualificam quando tem oportunidades? Quantos acordam mais cedo para terem mais tempo para não fazer nada?
Às vezes você não está fazendo isso, mas está permitindo que alguém debaixo de sua responsabilidade faça isso, como seus filhos, por exemplo. Deus te chamou para conquistar, para prosperar, para ser vitorioso. Quantas promessas
de Deus estão te esperando?
“Ah pastor! Aquela promessa é muito estranha”. Não seja natural, lance seu pão sobre as águas da Palavra de Deus e vai procurá-lo depois. É certo que você o encontrará. Deixe de ser passivo.
Porque algumas Casas de paz sempre multiplicam e outras não? Porque tem pessoas que sempre mandam gente para o impacto e outras nunca fizeram isso? “Ah pastor! É porque tem terrenos mais pedregosos que outros”. Continua se enganando e sendo natural...
Há uma unção de Deus sobre você. A unção de multiplicação foi recebida por você. Lembra da fonte a jorrar para a vida eterna, pois é, cadê a fonte? Esta aí bem dentro de você, use-a. “Mas pastor não parece estranho eu abordar alguém e falar do amor de Deus? Eu não vou parecer meio fanático?”
É, realmente parece estranho, com certeza vão te chamar de fanático, porém pessoas deixarão de ir para o inferno e passarão a morar nos céus.
São essas coisas entranhas que Deus ama quando seus filhos as fazem.
Lance seu pão sobre as águas e saia a procura dele, com certeza até o final desse mês você o encontrará. É estranho isso? Não se importe é Deus quem garante. 


A CORUJA NAS RUÍNAS
Sou como a coruja das ruínas...Salmo 102:6
Em momento de solidão e tristeza, doente e reflexivo, Davi no Salmo 102 se compara a coruja das ruínas. Uma canção triste, extraída de lábios desanimados e corpo sofrido, mas de um espírito que procurava não ser vencido pela situação.
Você já se sentiu assim, quase sem forças para orar? Ás vezes estamos tão abatidos que oramos em pensamento, em gemidos e até  em canções, como Davi.
Uma canção de lamento, terminada em louvor em demonstração de fé, ao final do Salmo ele diz : “Os filhos de teus servos habitarão seguros, e diante de Ti se estabelecerá a sua descendência” ( Sl 102:28). E aqui já nos chega uma lição: O louvor traz  refrigério, anima a alma.
A coruja das ruínas
Esse animal de hábitos noturnos não é acostumado a viver em bandos, é sempre solitário e caça seu alimento enquanto a cidade dorme. Gosta de deitar-se entre as ruínas, paredes velhas, locais abandonados e faz um barulho triste semelhante ao gemido.
Vejam o que nos diz Sofonias 2:13,14: “Farei de Nínive uma desolação, um deserto e alojar-se-ão nos seus capitéis tanto o pelicano como a coruja; a voz dessas aves retinirá nas janelas”. Na solidão e nas ruínas habita e geme a coruja e esse fúnebre movimento garante seu alimento, sua existência. E ao raiar do dia, a ave se recolhe para dormir em silêncio. 
 Pode-se imaginar a intensidade da angústia de Davi. Parecia que o festejar da vida e da alegria estava no passado e havia desmoronado. Considerando o tom profético e inspirado dos Salmos, podemos afirmar que esse momento coruja nas ruínas  é também messiânico.
Jesus, abandonado por todos, capturado como uma ave em armadilha, seguiu para a crucificação. Em gemido, espancado e humilhado, Ele olha para um mundo desolado e arruinado pelo pecado. Mas Ele seguiu até que a marcha fúnebre fosse transformada em júbilo, por Sua ressurreição!
E Davi também prosseguiu orando até sentir a presença de Deus o confortando. E nós devemos prosseguir na certeza de que pelo caminho seremos curados.
 A coruja me faz lembrar de Ana, mãe de Samuel. Em ruínas, foi até a igreja, o templo de Siló buscar conforto. E seu gemido, ao ser ouvido por Eli, assombrou-o: “Estás bêbada? Por que não escuto palavras de sua boca?” I Sm 13,14 e ela responde: “ Não senhor meu, Eu sou mulher atribulada de espírito, não bebi vinho ou qualquer bebida forte, mas estou a me derramar perante o Senhor” I Sm 13:15.
Desolada, solitária, se refugiando em Deus e sendo consolada. Deus ouviu a Ana, coruja nas ruínas; atendeu sua oração. O que fazer quando não se tem mais o que fazer? O que nunca deveria deixar de ser feito: buscar a Deus, se derramar perante Ele.
Nas ruínas, na solidão, na casa do luto, poderemos sentir a dimensão de quem somos e do quanto são voláteis os relacionamentos sociais e o status quo de cada um. Em um momento, tudo pode desmoronar. Questão de segundo, quem sabe dias, meses, anos, porque eterno mesmo só o espírito e Aquele que nos criou.
A coruja nas ruínas nos ensina sobre manter a fé e o alvo em Cristo porque a vida pode ser repleta de vaidades que se esvaem: velhice,  doença, solidão,  e ninguém está  distante dessas coisas.
É interessante relacionar outros aspectos da vida da coruja com o texto do Salmo 102: pela mobilidade formidável da cabeça que gira em todas as direções e a disposição dos olhos, é quase impossível essa ave perder uma presa sob seu alvo.
Os gregos observaram que por toda sobriedade da coruja, ela merecia ser símbolo da sabedoria. E a solidão e as ruínas, de fato, podem nos ensinar bem mais que a alegria e as multidões: Eclesiastes 7:2 "É melhor ir a uma casa onde há luto do que a uma casa em festa, pois a morte é o destino de todos; os vivos devem levar isso a sério!”
Davi estava na casa do luto, Ana esteve lá e Jesus Cristo nos resgatou eternamente desse lugar, aleluia! Mas precisou passar por ele.
Você sabia que muitas corujas são capturadas em igrejas? Não se tem certeza se o que buscam é o azeite ou os insetos que circulam o azeite, mas esse é o maior atrativo para elas. Apesar de terem vida noturna, as corujas também são atraídas pela luz, de lugares solitários.
É curioso esses fatos e se os compararmos a oração de Davi, veremos que podemos aprender com as corujas: buscar luz e azeite constantemente, ou melhor, conservarmos a luz e o azeite, símbolos do Espírito Santo (Êx 30:25) em nossas vidas. Para que na alegria e na tristeza estejamos firmes na fé, no relacionamento com Deus e com o próximo. Sem perder o alvo de uma vida com Cristo.
Por muitas vezes estive como coruja nas ruínas e muitas vezes, Deus ergueu as ruínas, do monturo, fez obras maiores e melhores: "O Senhor empobrece e enriquece; abaixa e também exalta. Levanta o pobre do pó e, desde o monturo, exalta o necessitado, para fazê-lo assentar entre os príncipes, para fazê-lo herdar o trono de glória...(1 Sm. 2.7,8).
Não há sofrimento na terra que o céu não possa curar, não há ruínas que o Senhor não possa levantar, não há dias claros que a coruja não possa contemplar.


DEUS CUMPRE SUAS PROMESSAS
Lc 2.25-32
Com certeza, todos nós temos uma promessa de Deus, amém?
Na verdade a Bíblia diz que nós temos mais 8 mil promessas e, mais de 365 promessas pessoais que Deus nos dá, portanto, é mais de uma promessa por dia para se cumprir nas nossas vidas...
Mas eu tenho certeza que em certo momento da sua vida, Deus lhe fez uma promessa em particular, o teu coração ardeu naquele momento, você se sentiu movido pelo Espírito de Deus. Ele falou em seu coração e lhe prometeu algo.
A minha pergunta é: essa promessa já se cumpriu na sua vida ou ainda não? Talvez tenha se passado algumas semanas desde o dia que Deus lhe prometeu algo, talvez a promessa tarde a acontecer na tua vida. Você ainda está esperando para que ela se cumpra ou já desistiu?
Diz a Bíblia, que havia um homem em Jerusalém, exatamente no mesmo período que Jesus nasceu em Belém. Esse homem chamava-se Simeão, ele era um homem comum e diz a Bíblia que este homem recebeu uma revelação do Espírito Santo, ou seja, uma promessa de Deus, de que antes de morrer, ele veria o Messias.
O Messias, o libertador de Israel, já havia sido anunciado desde o Éden, por séculos as multidões esperavam pelo aparecimento do Messias, as escrituras falam dEle, o profeta Isaías o mencionou 800 anos AC, com dados incríveis e com detalhes extraordinários. O povo de Israel durante mais de 1.500 anos esperou pelo Messias.
Nós não sabemos em que época da sua vida, em qual circunstância na sua vida ele recebeu essa promessa de Deus. Deus lhe disse: “Você vai tomar nos seus braços o Messias”. E sabe o que ele fez? Esperou.
Um dos nossos maiores inimigos é o medo. Nós somos de uma geração apressada, não temos mais tempo para nada e não temos paciência para esperar por nada, queremos já e se possível agora.
Este homem recebeu uma promessa e é impressionante o que diz a Bíblia que ele não morreria enquanto a promessa não se cumprisse. Se Deus te prometeu algo, Ele vai cumprir.
Simeão todos os dias ia para o templo, esperava no templo todos os dias e observava as caravanas, as pessoas que vinham e toda a mulher que trazia um bebê no colo era alvo imediato do seu interesse.
O tempo foi passando, ele já era um senhor idoso e um dia de manhã, ele se levantou mais tarde, estava preguiçoso naquela manhã, sua esposa já devia estar preparando o café, de repente, quando ele lava seu rosto, o Espírito Santo fala assim: ”Simeão, chegou a hora, o que eu prometi, eu vou cumprir agora”.
Simeão leva um susto, levanta-se, pega sua capa, sandália e sai, entra em uma viela empoeirada e caminha em direção aquele caminho que ele conhecia. Seu coração estava ansioso, ele estava com pressa, havia muita pressa. A pressa não era de caminhar, a dificuldade de andar no meio daquelas pedras, das ruas, a sua dificuldade maior era agora segurar o seu coração.
Provavelmente os vizinhos tentaram impedir sua caminhada, talvez muita gente tenha tentado conversar com ele naquele momento, mas ele não tinha tempo para ninguém, queria chegar a seu objetivo e quando ele viu o templo, o coração deve ter parado na garganta, ele se se encostou à porta e já percebeu que havia muita gente, vasculhou entre todos para ver o Messias e não encontrou.
O que ele fez? Voltou até a porta do templo e esperou. Esperou famílias se aproximarem, casais se aproximarem. De repente, uma mulher tem um menino em volta de seus panos, um menino que talvez estivesse chorando. Ela se aproxima do templo para cumprir aquilo que a lei ordena que todos os filhos fossem consagrados ao Senhor e Jesus é o exemplo.
Os pais o levaram, de repente eles são interrompidos na sua caminhada, Simeão o vê e o Espírito diz a ele: “Simeão, este é o Messias, este é o Soberano que prometi a você, que você o veria antes de morrer, esse aqui é aquele que trás a salvação, é aquele que eu preparei para ser o Redentor da humanidade, ele é a revelação de todos os gentios”.
Diz a palavra que ele o toma nos braços e a primeira coisa que vem ao seu coração é adoração e ele louva o Senhor e diz: Soberano,como prometeste, cumpristes. Agora, eu posso dormir em paz.
Irmãos, eu aprendo duas coisas aqui com Simeão: A primeira delas é que quando a gente não recebe a benção, a promessa, nosso coração não fica em paz. É como se algo faltasse nas nossas vidas. É como se uma história não fosse totalmente escrita.
Algo ainda precisava acontecer na vida dele, para que o plano de vida, o plano total do que Deus lhe disse estivesse feito. Essa é a primeira lição: não descanse enquanto você não receber. Não descanse, não abra mão dela, não deixe de sonhar, não deixe de crer, não interrompa esse projeto que Deus tem para a sua vida, continue a espera dele.
A segunda coisa que aprendo com Simeão é que ele se permitiu permanecer na presença de Deus, durante todo o tempo que fosse necessário, ele não desistiu de ser justo e piedoso. Essas são duas características imprescindíveis para um homem ou mulher que quer ver Deus cumprindo as promessas na sua vida. Ser justo e piedoso, ou seja, temente a Deus e que busca fazer a vontade Dele.
A justiça é aquilo que Jesus colocou em nosso coração quando cremos nEle, quando o recebemos como Senhor e Salvador, e ser justo significa viver a partir de então como aquele que foi justificado pela justiça de Deus que é Jesus.
Enquanto Simeão esperava pela promessa ou pela consolação de Israel, ele se mantinha fiel a Deus, se manteve assim por toda uma vida, mesmo não recebendo de imediato o que Deus lhe havia prometido, mesmo todos os dias indo ao templo e descobrir que aquele dia não foi o dia da promessa.
O texto de Lucas nos informa ainda que Simeão foi ao templo impelido pelo Espírito Santo; Deus o direcionou para o cumprimento de sua promessa
Quantas vezes você se levantou e disse: hoje é o dia D... Aí, o dia passou e não aconteceu nada. Talvez já tenha se passado anos, mas espere. Esperar como? Sendo justo e piedoso, crendo e expressando sua fé.
Pode ser que você ainda tenha que levantar mais alguns dias pela manhã, mas pode ter certeza que um dia Ele vai dizer ao teu coração: “Levanta-te, chegou o dia, chegou o momento, você esperou por isso e eu vou lhe colocar nas mãos”.
E quando a gente recebe a promessa de Deus, de ímpeto, a primeira coisa que o nosso coração faz é adorar, louvar, é agradecer, confessar, é expressar gratidão.
Se você tem uma promessa, espere por ela, não desista pelo caminho, não interrompa o projeto que Deus te deu, permaneça justo e piedoso e com o coração aquecido, porque no momento certo Ele vai colocar no teu colo e você terá motivos para adorar.


TEMPESTADE E SENTIMENTO DE ABANDONO
Mc 4:35-41
Irmãos, eu já ouvi um monte de gente me dizer: “pastor, eu não entendo o que está acontecendo comigo. Parece que Deus acorda todos os dias zangado comigo. Ele não está cumprindo sua palavra na minha vida. Eu vou à igreja, dou o dízimo, oro, coopero com tudo, fiz tudo certo e minha vida não sai do buraco. O que está acontecendo comigo?
Eu já falei com Deus várias vezes e ELE não me responde. Fiz várias campanhas na igreja e minha vida não decola. Onde estou errando? Por que Deus não me ouve? Por que parece que a minha vida vai de mal a pior. Parece que desde que eu entrei para o evangelho, as coisas ficaram até mais difíceis para mim”.
E a gente percebe que a pessoa está muito magoada com Deus, porque tudo o que ela ouviu que iria acontecer, não aconteceu. Vocês sabiam que tem gente desistindo da vida e marcando suicídio coletivo pela Internet? São pessoas que desistiram de viver e marcaram o seu último dia de vida com um grupo em certo local e horário para darem fim à vida.
No ranking do suicídio da Organização Mundial de Saúde, o Japão ocupa o quinto lugar em números absolutos, com cerca de 25.000 casos por ano. São pessoas que desistiram de viver. E isto também acontece nas igrejas. Há muitas pessoas que desistiram de viver a vida abundante e vão às igrejas arrastadas sem ânimo algum.
Qual é o diagnóstico dessa doença na vida das pessoas NA IGREJA?
Eu percebo que isso tem muito a ver com a herança recebida por um evangelho anunciado com os valores invertidos. É o evangelho da prosperidade, que prega o “não ter problema”, do “pare de sofrer”, e isso não funciona na prática.
Vá até uma Igreja e pergunte a qualquer pessoa se ela parou de sofrer, de ter problemas, se o pneu do carro não furou mais, não teve mais gripe, nem pressão alta e nem falta de recursos financeiros. Você não vai encontrar ninguém nessa condição.
Então, em cima desse texto que lemos sobre essa tempestade no barco, gostaria de destacar três princípios que vão te ajudar a viver e enfrentar os problemas do dia a dia.
1ºPrincípio: Aceitar o fato de que na vida haverá tempestades
Há dois tipos de tempestades. Aquelas que vêm naturalmente, porque na vida virão tempestades. São as tempestades naturais do casamento, do filho que fica doente, do dinheiro que acabou antes do fim do mês, do marido desempregado.
Por outro lado, há também aquelas tempestades que  você provoca.  Se a pessoa não estuda, não trabalha, fuma, namora a pessoa errada, parte para uma aventura amorosa que resulta num filho, faz empréstimo no banco sem ter como pagar, quer viver um padrão de vida acima das suas posses, vai colher tempestades por conta própria.
Depois quando as coisas ficarem muito ruins vai fazer uma campanha. Ou então elas ficam magoadas com Deus que não resolve os problemas que ela mesmo criou. E tem gente que dá um prazo a Deus para que solucione os seus problemas. Já ouvi gente dizer assim: “Se Deus não resolver esse meu problema em 15 dias, eu vou me desviar.”
Mas pastor, como é que pode haver tempestade na minha vida se eu estou com Cristo? Vejam só esta cena: Jesus está dentro de um barco junto com os apóstolos e a tempestade está acontecendo.
2ºPrincípio: Aprenda que em meio às tormentas da sua vida, Jesus não está ausente
A tempestade se levanta (v. 37) com grandes ventos e as ondas subiam por cima do barco que já se enchia de água. Jesus estava na popa dormindo sobre um travesseiro.
E aí, um de seus discípulos lhe disse: “Mestre, tu não te importa que pereçamos?”
Jesus, eu estou morrendo e o Senhor nem está se importando. Estou passando problemas, necessidades e o Senhor está tão ausente da minha vida. Onde está o Mestre, quando o barco está sendo açoitado pelas ondas?
Há uma ilustração que gostaria de contar. Certo dia um pai deu a seu filho pequeno uma tarefa: pintar a cerca da fazenda por certo dinheiro. O menino está cansado, com bolhas nas mãos. O pai poderia tirar a tarefa do menino, poupando-o do sofrimento, mas não o faz. Senão, o menino não cresce. Mas à noite, enquanto o menino dorme, o pai passa remédio nos seus dedos, nas bolhas. Dia seguinte o pai brada: menino, vamos lá! Levante-se! Tem que pintar a cerca! Trato é trato!
Então muitas vezes quando achamos que estamos sozinhos, enquanto você dorme, o PAI está olhando para você, te curando, passando bálsamo no teu coração. Ele sabe que você vai ter que passar por isso. Livrar-te do problema iria te trazer um problemão: você não cresce. Fica anãozinho para sempre. Crente anão, sempre no leite.
Deus muitas vezes não irá interferir nos nossos problemas, porque na verdade eles são a solução para o nosso crescimento. Sabe por que você sabe andar? É porque toda vez que você tentou andar caiu e não havia ninguém te segurando. O seu pai ou sua mãe ficava só olhando de longe.  No BARCO.
Jesus está no barco, isso é o que importa.
“Eis que Eu estou convosco TODOS OS DIAS até a consumação dos séculos”.
Não existe nenhum dia em que ELE não está com você. Nenhum. Porque essa é a promessa DELE mesmo. EU estou convosco! É um verbo que está no tempo presente do indicativo na primeira pessoa: EU ESTOU.
“Mas, pastor, eu não sinto que Ele esteja.” Você não precisa sentir nada. Ele está, porque ELE disse: EU ESTOU!
Então, por que a tempestade não se acalma?
3ºPrincípio: Tenha a confiança que no momento certo a tempestade vai se acalmar
Chegou uma hora em que Jesus foi acordado pelos discípulos com a frase: “Mestre, tu não te incomodas que a gente morra?” Tu não estás nem aí. Tanto faz como tanto fez? Nossa vida não tem valor?
E Jesus disse ao vento: “Cala-te, aquieta-te”. e o vento se aquietou. e houve grande bonança. Mas Jesus os repreendeu dizendo: “por que vocês são tão tímidos. Ainda não têm fé?”
Aqui nós vemos a fé em ação: ”cala-te” e os ventos lhe obedeceram.
Nós precisamos dizer à nossa alma “aquieta-te”. Faça como Davi no Sl. 42: “Por que te abates, ó minha alma. Não se abata. Espera em Deus! Pois eu ainda o Louvarei na salvação da Sua presença.”
Saiba que os ventos obedecem à sua voz. Todo joelho se dobra diante de Jesus, os demônios, a doença, o desespero, a tristeza, angústia e dor. Quando ela vai se acalmar, eu não sei.  Mas você não ficar aí olhando as coisas se desmoronarem. VÁ ORAR!
Porque Deus não ouve? É porque há uma condição essencial para que ELE ouça. Deus responde: Jr 29:13 – E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração.
Por isso o EVANGELHO é INTEGRAL: Todo coração, Toda a tua alma, Todo o teu entendimento. Deus quer você por inteiro. Ele não aceita partes. Coração dividido, ELE não aceita.
Nosso problema é que nossa oração ainda é aquele no estilo “drive-through”. A gente não tem tempo, então vai orando dentro do carro enquanto se dirige para o trabalho, porque não há mais tempo para o quarto.  Jesus nos ensina a orar no quarto, com as portas fechadas de todo o coração ao Pai, que nos ouve e nos recompensa. Temos que reaprender isso urgentemente.
Não há outra solução. Então ore, ore sem cessar até que haja resposta dos céus. Pedir, buscar, bater, é um imperativo.
O preço da desistência é muito alto.
Toda vez que você desiste de alguma coisa que começou, perde todo o INVESTIMENTO. Ele jamais terá retorno outra vez, mas essa é a menor das perdas.
Toda vez que você desiste, perde CREDIBILIDADE. Todas as pessoas que confiavam em você, já não confiam mais, pois eles vão taxá-lo de desistente, aquele que começa e não termina nada que começou.
A pior das perdas, o preço mais alto que você paga por desistir é este: todas as OPORTUNIDADES que ti esperavam lá no final serão dadas para outros.
Todas as portas que se abririam, você não estará pronto para elas, e lamentavelmente irá descobrir que a diferença entre o perdedor e o vencedor não é o talento, mas sim a capacidade de não desistir e persistir até alcançar o alvo.
A vida só premia os insistentes, aqueles que apesar de todas as barreiras e dificuldades, não desistem nunca. São homens e mulheres que como diz o texto de Hebreus 11:34 da fraqueza tiraram forças.
Por isso, a oração é o único meio de reverter uma situação que terá um resultado desastroso dentro do seu curso normal.
Portanto, não se abata. Alegra o teu coração, porque o Senhor que mandou a tempestade se acalmar, está aí bem pertinho de você. Você não precisa ir a nenhum lugar especial. Não precisa ir atrás de profeta pra dizer algo que você já sabe, não precisa ir em Israel. Ele está no seu quarto. Vá agora para lá. ELE está te esperando.
Vitória não é quando as circunstâncias da sua vida mudam. Vitória é quando o seu coração muda.
Nunca duvide que ELE te ama e deu a sua vida por você na cruz do calvário. E ELE está aqui agora te ouvindo. Vá orar agora e você vai sair do seu quarto vitorioso e com um sorriso no rosto e cheio de esperança no coração.





LinkWithin

"Poderá gostar de:" Related Posts with Thumbnails