segunda-feira, 15 de junho de 2009

Transformados Pela Morte


"...para o conhecer, e o poder da sua ressurreição, e a comunhão dos seus sofrimentos, conformando-me com ele na sua morte; para, de algum modo, alcançar a ressurreição dentre os mortos” (FP 3:11).
Quantos aqui nesta noite passam por lutas? Quantos sofrem por um mesmo motivo um, dois ou mais anos? Quem de forma brusca passou a ter que enfrentar uma dificuldade inesperada?
Pode ser que você tenha respondido “Sim, pastor, hoje passo por um grande sofrimento”. Pode ser que a explicação pra isto seja uma ação de Deus para o seu crescimento espiritual, um conhecimento mais profundo e experimental de Deus e o seu caráter.
Paulo passou por isto e após algumas tentativas de buscar em Deus a solução ele ouviu: “Minha graça é suficiente e o meu poder se aperfeiçoa na sua fraqueza”. Paulo lidou com uma limitação para fazê-lo dependente de Deus. Este pode ser o seu caso.
Porém, Deus esta mandando dizer: existem pessoas que estão aqui que sofrem por motivos que em essência refletem desobediência contra a vontade de Deus. Pessoas que sofrem por decisões erradas e por situações em aberto em suas vidas.
Veja como Jesus prioriza este assunto mesmo em face de tão grande necessidade de um homem que com muito esforço foi levado até sua presença:
“Não podendo levá-lo até Jesus, por causa da multidão, removeram parte da cobertura do lugar onde Jesus estava e, pela abertura no teto, baixaram a maca em que estava deitado o paralítico. Vendo a fé que eles tinham, Jesus disse ao paralítico: "Filho, os seus pecados estão perdoados. Que é mais fácil dizer ao paralítico: Os seus pecados estão perdoados, ou: Levante-se, pegue a sua maca e ande? Mas, para que vocês saibam que o Filho do homem tem na terra autoridade para perdoar pecados" - disse ao paralítico - "eu lhe digo: Levante-se, pegue a sua maca e vá para casa". Ele se levantou, pegou a maca e saiu à vista de todos, que, atônitos, glorificaram a Deus, dizendo: "Nunca vimos nada igual!"...” Mc 2.4,5-9-11.
Agora perceba a profundidade e seriedade deste assunto no texto de I Coríntios 11 explanado pelo apóstolo Paulo: “Portanto, todo aquele que comer o pão ou beber o cálice do Senhor indignamente será culpado de pecar contra o corpo e o sangue do Senhor. Examine-se cada um a si mesmo, e então coma do pão e beba do cálice. Pois quem come e bebe sem discernir o corpo do Senhor, come e bebe para sua própria condenação. Por isso há entre vocês muitos fracos e doentes, e vários já dormiram. Mas, se nós tivéssemos o cuidado de examinar a nós mesmos, não receberíamos juízo.” I Co 11.27-31
Aqueles crentes estavam vivendo de modo superficial à fé cristã. Sabiam tudo de justificação (salvação), mas não entendiam nada acerca da santificação (estilo de vida). Reuniam-se para tomar a Ceia sem quebrantamento. Desconsideram o real significado daquele símbolo. Menosprezavam na prática o sacrifício de Jesus indo tomar a Ceia com as mãos sujas e coração impuro. Também não demonstravam o valor da Igreja – comunhão com o Corpo de Cristo.
Havia dissensão, imoralidade e outros pecados cometidos nesta Igreja de Corinto. Ao ponto de Paulo afirmar que o momento da Ceia ao invés de ser inspirador era uma reunião que causava ainda mais problema entre eles. A situação era tão crítica que os que chegavam primeiro comiam e bebiam tudo a Ceia e os outros – os mais simples que chegavam após uma jornada de trabalho – ficavam sem.
As coisas não poderiam continuar daquele jeito e Paulo alerta-os da necessidade de uma verificação sincera de suas vidas diante de Deus, isto na verdade deveria ser encarado como uma disciplina espiritual.
“Examine-se cada um a si mesmo, e então coma do pão e beba do cálice” I Co 11.28. Examine-se vem da palavra em grego “Dokimazeto”, que significa “Testar como a metais para verificar o real valor. Submeter-se a um teste, com o intuito e a intenção de passar no teste.”
Por causa das prisões pecaminosas o povo estava sentindo na pele o efeito da disciplina de Deus. “Por isso há entre vocês muitos fracos e doentes, e vários já dormiram. Mas, se nós tivéssemos o cuidado de examinar a nós mesmos, não receberíamos juízo” I Co 11.30,31.
Alguns estudiosos afirmam que foi permitido “um mal” entre aqueles crentes que chegou a ceifar a vida de alguns. A situação foi grave e parece que as forças das palavras de Paulo eram desperta-los para a realidade presente do juízo de Deus entre eles.
Saiba que Deus disciplina seus filhos para corrigir o curso de suas vidas. Muitas enfermidades estão atreladas a renúncias que precisamos fazer em nossas vidas. Pecados (posturas) que precisam ser confessados! Quantos sofrem por doenças psicossomáticas? Em essência a explicação destas doenças é: falta de uma completa confiança em Deus ou a tentativa de gerenciar a vida e os outros.
O pecado gera sofrimento em todos os níveis! Será que Deus não está chamando sua atenção com este sofrimento para acertar algumas situações na sua vida? Proponho um exame pessoal... Será que sua vida está limpa? Será que você precisa deixar algumas práticas? Existe ainda algo que você não entregou a Deus?
Se a sua enfermidade for conseqüência direta de uma desobediência a Deus por algum aspecto ela vai terminar hoje! Deus quer ministrar o seu perdão em sua vida e quebrar todas as cadeias que o prendem.
Como estão os seus relacionamentos?
- Pais/ Cônjuge / Parentes / Amigos e Conhecidos... “Quem odeia seu irmão é assassino, e vocês sabem que nenhum assassino tem a vida eterna em si mesmo.” I João 3. 17
Talvez seja útil resumir o ensino desta passagem (contexto) acerca de ódio e do amor. O ódio caracteriza o mundo, cujo protótipo Caim. Origina-se no diabo, leva ao homicídio e é evidência da morte espiritual. O amor caracteriza a igreja, cujo protótipo é Cristo. Origina-se em Deus, leva ao sacrifício próprio e é evidência da vida eterna.
“O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor.” I Co 13.4,5
A palavra “Guardar” vem da palavra grega “logizomai” vem de contabilidade e significa calcular ou computar. Os contadores do primeiro século deviam conferir os livros contábeis, calcular ou computar que ele tinha determinado número de itens. “Logizomai” tem a ver com seu livro contábil, registrando as entradas com tinta permanente. No novo testamento em geral isto é bom. Quando temos bons registros, somos organizados.
Assim quando se trata de transações chamadas relacionamentos precisam jogar os livros fora. Praticar “logizomai” é um veneno quando se trata de marido e mulher, pais e filhos, amigos e companheiros. O amor, Paulo nos diz em I Coríntios 13, não guarda esses livros. Não faz um quadro de pontos. Não faz listas de quem vai morder. O amor se lembra de perdoar.
“Cuidem que ninguém se exclua da graça de Deus; que nenhuma raiz de amargura brote e cause perturbação, contaminando muitos.” Hb 12.5
Pergunte a qualquer jardineiro sobre ervas daninhas. Ele dirá que dificilmente se elimina a erva daninha depois que ela toma a conta. A erva daninha se espalha e sufoca a grama viçosa e as lindas flores que se desejavam nesse canteiro. É exatamente este o poder do ressentimento na sua vida.
A amargura em relação a alguém contaminará todos os seus relacionamentos até eles se tornarem insustentáveis!
Você está disposto a mudar isto? Deus está aqui para libertá-lo disto porque ele deseja sua felicidade nos relacionamentos.
Perdoar significa... - Acertar pendências - Esquecer a ofensa - Proteger-se da auto-justiça e agir com misericórdia - Permitir o renascimento do ofensor em sua vida - Andar a segunda milha - Confiar na justiça de Deus - Crescimento espiritual - Liberar a pessoa espiritualmente
Como é a sua relação com a autoridade?
Temos uma inclinação natural à insubmissão a Deus e as autoridades que Ele constituiu. A falta de submissão às lideranças constituídas por Deus acarreta uma série de desajustes.
Foi exatamente este fator que fez com que Lúcifer fosse expulso do céu, o casal do Jardim do Éden. Também impediu que a maioria dos adultos que saíram do Egito não entrassem na Terra Prometida e etc. Este também era um dos problemas da Igreja de Corinto, tinham a dificuldade em reconhecer a autoridade de Paulo.
Eu tenho uma noticia pra te dar nesta noite: A grande notícia é que o sacrifício de Jesus é suficiente para mudar sua vida neste momento. Se você está preso em uma das áreas, a primeira coisa que você tem que fazer é:
1. Admita sua necessidade de mudança
Nós só iremos obter uma mudança em nossas vidas quando nos consideramos mortos para o pecado. De fato, a Bíblia diz que morremos com Ele, para o pecado.
Quando entramos na água do batismo, simboliza que morremos com Cristo e morremos para o pecado, mas, o pecado, sutilmente, ainda nos rodeia.
O apóstolo Paulo tinha um propósito e uma obsessão: Ele queria conhecer a Deus, a Cristo e conhece-Lo profundamente. Por isto Ele disse: "para o conhecer, e o poder da sua ressurreição, e a comunhão dos seus sofrimentos, conformando-me com ele na sua morte; para, de algum modo, alcançar a ressurreição dentre os mortos. - (FP 3:11)
Não bastava considerar morto para o pecado, apenas, o apóstolo sabia o que era morrer constantemente. Ele levava o morrer de Cristo diariamente na sua vida. Ele experimentava na sua vida, como se morria para si, para os seus desejos, para a sua ambição particular, para a sua vaidade e glória.
Por isto, ele se gloriava na sua fraqueza. Ele não se gloriava nas suas grandes visões e revelações, nem na sua escrita e sua capacidade de convencer multidões e sinais e maravilhas, mas no fato de poder sofrer com Cristo.
A sutileza do pecado que nos rodeia, só pode ser combatida, através da nossa morte. Temos que morrer... Temos de levar cada dia o morrer de Cristo em nós...
Por isso, nesta noite, deixe de lado os inimigos desta atitude: orgulho, auto-justiça (espírito de religiosidade). Você está sob obras celestiais e isto envolve libertação de tudo que atrapalha sua semelhança a Jesus! Por favor, deixe de lado seu tempo de vida cristã isto definitivamente não garante sua maturidade na fé em Cristo.
Deixe de lado o fardo da religião, da aparência e da “caixa preta” que só mostra seu interior quando passa por uma explosão. Nunca se feche para auto-análise. Faça hoje um voto de mudança!
2. Receba a cura
O Evangelho que transforma não é o que nos leva a ostentação, ao orgulho e a vaidade...
O Evangelho que transforma não é aquele que engorda a vaidade pessoal e leva ao culto do eu, da sua reputação, do seu poder, do seu império. Creio que o que está faltando no nosso meio hoje, é a falta da obra da crucificação do nosso eu, e do nosso morrer constante.
Temos que aprender o que significa "Porque eu, mediante a própria lei, morri para a lei, a fim de viver para Deus. Estou crucificado com Cristo; logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim. - (GL 2:19 e 20)
Você está aqui para receber a cura de Deus. Saia do anonimato! Confessar para Deus é perdão dos pecados, confessar para o outro é cura da alma. Se você está preso em alguma área tem que ser liberto!
Abra os seus olhos espirituais e beba da água fresca que Deus quer derramar sobre a sua vida nesta noite.
3. Assuma o padrão de Deus para sua vida
O apóstolo Paulo procurava a comunhão do sofrimento de Cristo, e se conformar, ou seja, tomar a forma da morte do Senhor, constantemente com a esperança de um dia alcançar a ressurreição. Não querendo apontar o dedo para ninguém mas, quantas pessoas que conhecemos que já passaram pela cruz.
Experimentaram muitos níveis de morte, têm levado o morrer em Cristo, constantemente, têm sido transformados, tem sido os soldados de Cristo que estão vencendo o mundo, a carne e o diabo.
Mas, infelizmente quantos são aqueles que tem sido inimigos da fé que trabalham para destruir a igreja, tomam uma postura contrária ao "levar o morrer de Cristo". Pregam a fofoca, o despeito, a inveja, a maledicência, a desobediência...
O combustível e o material para o inimigo agir contra nós, não são somente os nossos pecados, mas também a nossa língua, o nosso egoísmo, o egocentrismo nosso.
A santidade começa com o negar o seu eu, renunciar tudo, tomar cada um a sua cruz e seguir a Jesus. É a melhor arma para combater o inimigo. É a melhor forma de morrermos para nós mesmos, e vivermos para Deus!
Não somos uma Igreja “missim miojo”, Igreja da transformação instantânea. Cremos num processo sadio de formação espiritual que leva a vida toda.
Portanto, se você quer experimentar o que significa a presença de Deus na sua vida, admita sua necessidade de mudança, receba a cura e assuma o padrão que Deus quer pra você!

2 comentários:

Josemária Carvalho disse...

Muito legal o blog do sr!!!
Que Deus abençoe se ministerio.

Fábio Menen disse...

Amei seu blog, pastor. Vou segui-lo. Que Deus continue a abençoá-lo e também seu ministério. Abraço fraterno.

LinkWithin

"Poderá gostar de:" Related Posts with Thumbnails